Contribuindo para a formação de acadêmicos e profissionais qualificados

LSSP—Laboratório de Simulação de Sistemas de Produção

Benchmarking Enxuto

O Benchmarking Enxuto (BME) é um método de diagnóstico desenvolvido pelo LSSP, baseado no conceito de benchmarking, com objetivo de gerar informações para subsidiar o planejamento estratégico da implantação da Manufatura Enxuta na Empresa, podendo ser usado tanto em nível global da organização, como em nível setorial.

O método BME está estruturado em 3 etapas distintas. Uma etapa inicial de preparação onde se forma um grupo de investigação da manufatura (GIM) e se criam as condições básicas para iniciar o trabalho. Uma etapa de investigação onde são medidos 37 indicadores de práticas e de performances relacionados com a Manufatura Enxuta. E uma etapa de interpretação onde há o tratamento dos dados e a preparação da apresentação para a discussão do diagnóstico.

O processo de investigação se dá pela aplicação de um instrumento de coleta de dados que faz um estudo das práticas e das performances dos pontos relevantes para a Manufatura Enxuta segundo quatro variáveis de pesquisa: Demanda, Produto, PCP e Chão de Fábrica.

 

Figura 1 - Variáveis de Pesquisa do BME.

 

A discussão e apresentação dos resultados levantados é feita de forma gráfica para cada uma das etapas produtivas avaliadas na Empresa, o que facilita a compreensão do atual estado de desenvolvimento do sistema produtivo e subsidia a discussão em relação à adoção dos conceitos e das ferramentas da ME. Para tanto, são usados três tipos básicos de gráficos: Prática versus Performance, Radar e Barras.

O gráfico Prática versus Performance posiciona e compara a empresa, ou seus setores, em estudo, de acordo com os índices finais de prática e performance da Manufatura Enxuta, em uma escala de 0 a 100, obtidos durante a consolidação dos resultados parciais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Figura 2 - Gráfico de Prática x Performance.

O gráfico Radar posiciona a Empresa, ou o setor produtivo, em relação aos padrões de excelência propostos pela ME, em termos de práticas e performances. O padrão de excelência proposto neste estudo é representado pelo círculo externo do gráfico, ou seja, 100% em todos os indicadores de prática e performance estudados. Tem-se o valor de 60% (linha vermelha) como um marco de desempenho mínimo necessário para viabilizar a ME no ambiente empresarial.

Figura 3 - Gráfico Radar de Práticas e Performances.

Faz-se uso do gráfico de Barras para facilitar o processo de investigação causal de quais são os pontos mais positivos e mais críticos relacionados à cada variável de pesquisa nas diferentes etapas produtivas da empresa. Neste gráfico os indicadores de prática e performance são apresentados em conjunto, respeitando a relação de causa e efeito existente entre eles.

Figura 4 - Gráfico de Barras de Práticas e Performances do PCP.

Entre em contato com nosso Laboratório para maiores esclarecimentos sobre a possibilidade de aplicação do método BME em sua Empresa.

 

Para falar conosco:

 

Tel: 48-3721-7052

Fax: 48-3721-1255

Email: tubino@deps.ufsc.br